Teledermatologia em Florianópolis completa um ano de implantação com resultados positivos

Completando um ano de utilização do sistema de telediagnóstico para exames dermatológicos, Florianópolis possui mais de 3500 exames realizados através do Sistema de Telemedicina e Telessaúde (STT). A redução do tempo de espera para o atendimento dermatológico foi um dos principais resultados desde a adesão ao STT. De acordo com o Departamento de Média e Alta Complexidade (DeMAC) da Secretaria Municipal de Saúde de Florianópolis, o tempo de espera para uma consulta com especialista antes da Telemedicina era em torno de um ano. Atualmente, a espera é de 1 a 2 semanas para o exame dermatológico. O laudo do especialista, realizado via STT, é emitido na mesma semana em que o exame é feito. A espera para que o médico de família avalie o resultado e realize a conduta clínica ou encaminhe o paciente para consulta presencial com dermatologista, depende de cada Centro de Saúde.

As vantagens se traduzem na reorganização e otimização dos processos de trabalho; redução do tempo de espera para realização e emissão de laudo do especialista, bem como na ampliação da oferta.  Além disso, a Teledermatologia melhora a capacitação dos Médicos de Família, que ganham conhecimentos e aumentam sua capacidade de resolução na especialidade Dermatologia, evitando consultas desnecessárias ao especialista.” Declara a Gerência de Média Complexidade do Departamento de Média e Alta Complexidade (DeMAC) da Secretaria Municipal de Saúde de Florianópolis.

O município de Florianópolis decidiu aderir ao Sistema de Telemedicina e Telessaúde em abril de 2015 e a primeira modalidade de telediagnóstico implantada foi a dermatologia. Posteriormente, Florianópolis aderiu também para a tele-eletrocardiografia, em dezembro do mesmo ano. As capacitações e processo de implantação da teledermatologia começaram em abril e o sistema de telediagnóstico para doenças de pele começou a ser realizado no município no segundo semestre de 2015, em julho. Entre abril e julho de 2015, os coordenadores da Telemedicina capacitaram os profissionais de saúde da cidade para o uso do STT.

Entre os profissionais capacitados, estavam os técnicos que trabalham nas policlínicas de Florianópolis, responsáveis pela realização dos exames dermatológicos e o envio ao portal online, onde este exame é laudado pelos especialistas; também foram capacitados os médicos das Unidades Básica de Saúde, que fazem a requisição dos exames dermatológicos e seguem o protocolo de conduta clínica após o laudo do exame; além da capacitação dos próprios dermatologistas do município, que a partir de dezembro de 2015 formaram uma rede municipal de especialistas laudadores, responsáveis pela emissão de laudos aos pacientes de Florianópolis.

Veja como funciona o fluxo de Teledermatologia no estado de Santa Catarina:

Fluxo Dermato

A fila de espera de pacientes que necessitavam de atendimento com dermatologista foi zerada em novembro, com a contribuição do telediagnóstico, que qualifica o encaminhamento dos pacientes e a resolutividade dos exames de pele com menor tempo de espera. Veja aqui a matéria publicada no site da Prefeitura Municipal de Florianópolis em novembro de 2015 sobre a teledermatologia, que zerou a fila de espera da cidade antes do previsto.

teledermato_capital2015

Desde a adesão ao Sistema de Telemedicina e Telessaúde, Florianópolis realizou 3506 exames dermatológicos. Confira no gráfico o número de exames de pele laudados nos últimos três meses – abril, maio e junho de 2016 – na capital catarinense.

 Em Florianópolis, são quatro dermatologistas que atendem na cidade pelo Sistema Único de Saúde. Desde dezembro de 2015, dois destes especialistas também realizam os laudos pelo Sistema de Telemedicina e Telessaúde. Para o dermatologista da rede estadual de telediagnóstico, Daniel Nunes, que lauda pelo STT desde o início da teledermatologia, a maior questão é a prática: “O telediagnóstico é uma ferramenta  que precisa ser colocada na rotina de trabalho dos profissionais da saúde.”

elaine“O sistema ajudou o atendimento dos pacientes na dermatologia e o trabalho dos médicos. […] Depois de começar a trabalhar com a ferramenta, a adaptação foi tranquila para o uso do sistema. É fácil de usar e tranquilo”, avalia a dermatologista da rede municipal de Florianópolis e laudadora do STT, Elaine Perugini.

O município de Florianópolis mantém um grupo de trabalho. com reuniões mensais, formado por profissionais da Atenção Básica, da Média Complexidade e também da Central Estadual de Telemedicina. O grupo discute a teledermatologia no município, apresenta dificuldades pontuais e também repassa questões sobre a adaptação com o sistema. Confira a matéria publicada neste site sobre a reunião do grupo de trabalho realizada em abril de 2016.