Telemedicina participa de reunião com profissionais de Indaial para estruturação do fluxo de exames de dermatologia

Telemedicina participa de reunião com profissionais de Indaial para estruturação do fluxo de exames de dermatologia

No mês de setembro, no dia 16, 24 profissionais de Atenção Básica Municipal, reuniram-se em Indaial para receber uma capacitação no uso da rede de Telediagnóstico em Dermatologia pelo Sistema de Telemedicina e Telessaúde (STT). O município que já possuí atendimento dermatológico enfrenta problemas para acelerar o atendimento dos pacientes, contabilizando uma fila de 423 pessoas há mais de um ano. Espera-se que com a implantação do modelo completo, melhorando consecutivamente a atuação da tecnologia, o processo comece a ser acelerado, e em algumas semanas a fila de espera seja reduzida, como já acontece em todo o Estado.

Após esta capacitação pretende-se que o Centro de Especialidades do município, que até então atendia somente os pessoas com lesões ou manchas mais graves identificadas pelo médico da Unidade Básica de Saúde, comece a atender a grande demanda da Atenção Básica. Para a realização de novas consultas com o médico especialista em dermatologia, o paciente deve realizar um exame de Teledermatologia, que indicará na classificação de risco se há necessidade de uma consulta com um especialista.

Franciele Regina Sedrez, Diretora de Assistência à Saúde de Indaial, afirma que muitas pessoas da fila de espera “ocupam o lugar de quem realmente precisa”, enquanto que outras que também necessitam de atendimento, acabam aguardando até um ano para realizar um exame médico. Com o STT em funcionamento, os exames de teledermatologia irão dar o encaminhamento correto aos pacientes, reduzindo as filas e agilizando o atendimento no Centro de Especialidades.

O problema de filas em Indaial é recorrente na maior parte dos municípios catarinenses. No ano passado, mais de 50% dos exames de teledermatologia realizados pelo STT receberam classificação branca, isto é, quando as manchas são normais e não apresentam risco ao paciente. E apenas 30% de todos os exames realizados foram encaminhados ao dermatologista.  Assim, pacientes que antes teriam de se deslocar para realização de um exame médico especializado, agora obtém rapidamente o resultado do seu exame em seu próprio município.

O Sistema de Telemedicina e Telessaúde atua há dez anos no Estado e armazena mais de 4,3 milhões de exames médicos das Unidades Básicas de Saúde e hospitais. Os exames de Teledermatologia e Tele-eletrocardiografia são realizados por profissionais de saúde capacitados que realizam os exames, seguindo protocolos específicos. As imagens são enviadas ao Portal Online, onde um médico especialista então, emite o laudo, faz a classificação de risco da lesão e indica a conduta clínica, este resultado então é disponibilizado aos profissionais da Atenção Básica para os encaminhamentos necessários.